Comportamento animal

Comportamento animal

OS CÃES E GATOS SÃO INTELIGENTES.

Todos nós que convivemos com eles sabemos disso. Mas dizer que eles pensam como nós não é exatamente assim.


Nós, seres humanos, somos capazes de refletir, planear e tomar decisões complexas.


A nossa forma de sentir, perceber o mundo e o que nos emociona é completamente diferente da dos cães e dos gatos.


Os cachorros e gatos aprendem muito com as famílias que convivem e reagem em consequência das nossas ações. Se eles vivem livres na rua ou no campo, aprendem com os seus grupos imitam os adultos e aos poucos tornam-se independentes e capazes de sobreviver.


Independente de aprender os comandos e algumas palavras do nosso vocabulário, eles são capazes de agir de acordo com seus interesses, abrindo uma porta ou ao subir para uma mesa para comer algum petisco.
Eles também reagem às nossas emoções.

Se estamos com raiva ou tristes fazem de tudo para nos agradar com cara de coitadinho. Neste momento, a maioria dos humanos interpreta esta carinha como culpa ou vergonha.


Só sente vergonha ou culpa quem é capaz de julgar uma ação e tem plena consciência da sua existência. Os cães e gatos não têm esta habilidade, escondem-se quando censurados porque percebem a nossa expressão facial, e o tom de voz, desaprovadores.


Cada espécie tem formas de ver, ouvir, cheirar, provar e sentir o mundo completamente diferentes das outras. Sabemos que a audição e o olfato dos cães e gatos são mais desenvolvidos que os nossos.
Já o paladar deles é aproximadamente cinco vezes menos apurado.


Nós, humanos, sentimos o mundo de uma certa forma; os animais, de outra. As diferenças sensoriais entre eles e nós são muitas.


Outra diferença enorme é a linguagem usada para comunicação. Ao passo que os cães são especialistas na leitura da linguagem corporal, eles compreendem muito pouco da nossa linguagem oral. Embora sejam capazes de aprender muitas palavras (mais de 200!), não entendem o sentido de uma frase longa. O tom de voz doce ou ríspido é facilmente compreendido por um cão, mas não entende o que se diz

. Os cachorros e gatos não têm uma noção linear do tempo como nós. Cinco minutos após o fato, eles não relacionam o ocorrido à sua reação. Por isso a punição ou o elogio devem ser sempre na altura em que acontece "a coisa".

Os Gatos usam o corpo todo para comunicarem. Das orelhas à ponta do rabo, existem informações transmitidas em qualquer movimento. Aprender a ler a linguagem corporal felina é um estudo fascinante para os donos. Existe uma enorme riqueza de informações no rabo do gato, por exemplo. Quando está para o alto, seu gato está a sentir-se bem e pronto para interagir.

Batendo ou com um movimento forte de balanço, pode indicar irritação - quanto mais rápido for o movimento, mais agitado estará o seu gatinho. Mas se ele estiver a balançar-se lentamente, é sinal de que o seu gato está curioso e interessado no que está a acontecer, ou que ainda não se decidiu se está feliz ou irritado.

Quando as orelhas estão inclinadas para frente, elas também sugerem que o seu gato está curioso e amigável. Quando ameaçados, os gatos podem fazer com que seus corpos pareçam maiores, arqueando as costas e arrepiando o pelo. Isso não significa que estão prestes a atacar - estão a tentar parecer ameaçadores. "Cuspir" e mostrar os dentes é outro aviso.

Um gato que olhar diretamente nos seus olhos com os próprios olhos semiabertos indica que confia em si. E quando ele virar a barriga para se deixar coçar e acariciar, isso também indicará confiança total. Se, quando estiver prestes a ser acariciado, o gatinho levantar as costas para alcançar a sua mão, isso é também um sinal de afeto. Existe outro lado da linguagem corporal - o lado humano. O Seu gato também observa os seus sinais e provavelmente está mais consciente deles do que você mesmo. E, apesar de existirem muitos sinais universais, haverá outros que serão exclusivos do seu gato. Cada animal tem sua própria maneira de se comunicar, tal como nós.

Páginas Relacionadas

Obter mais informações sobre este tópico

Obesidade

Obesidade

Gordura, formosura? A obesidade tem vindo a tornar-se num dos problemas de saúde mais frequentes na clínica veterinária de pequenos animais. O...

Leishmaniose

Leishmaniose

Um estudo recente "Semana da Leishmaniose" permitiu concluir que todos os distritos de Portugal continental apresentam seropositividade (de 1% a...

Legislação Sobre Cães Perigosos

Legislação Sobre Cães Perigosos

Decreto-Lei n.º 315/2009. D.R. n.º 210, Série I de 2009-10-29 - No uso da autorização legislativa concedida pela Lei n.º 82/2009, de 21 de...

Dermatologia

Dermatologia

A pele pode estar afetada primariamente ou pode refletir alguma afeção sistémica/interna e como tal o leque de diagnósticos diferenciais é...

Intoxicações

Intoxicações

Infelizmente a possibilidade de envenenamento por diversos produtos que usamos no quotidiano é um risco inerente ao nosso animal de estimação. A...

×

Ao continuar a sua navegação está a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de tratamentos e ofertas adaptadas aos seus interesses. Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura. Saiba mais clique aqui

Aceitar
×
×